Trabalhar muitas horas rode esultar na perda do visto de estudante!

Trabalhar muitas horas resulta em perda de visto de estudante!

 

Trabalhar além das horas permitidas não é novidade entre estudantes que precisam pagar cursos e se manter na Austrália durante seus estudos.

Mas é importante lembrar que há um risco alto por se "trabalhar demais" ou não manter registro adequado das horas trabalhadas!

Recentemente, uma decisão do Tribunal Federal, chamou a atenção e ilustrou exatamente isso: que existem riscos sim, e é importante manter bons registros das horas trabalhadas.

Vistos de estudante geralmente estão sujeitos a uma condição, que prevê que o portador do visto não pode trabalhar mais de 40 horas por quinzena, a não ser em período de férias escolares.

O que aconteceu nesse caso recente, foi que o Departamento obteve registros da Comissão de Serviços de Táxi em Victoria que forneceu os números de registro de cada táxi que esse estudante em questão, havia dirigido, assim como a data e hora de cada um de seus turnos.

Infelizmente para o portador do visto, esses registros indicaram que houve 15 quinzenas ao longo de cerca de um ano, onde ele havia dirigido mais de 40 horas. De fato, os registros sugeriram que houve muitas quinzenas durante as quais ele dirigiu o táxi por mais de 100 horas.\

Para tentar evitar um cancelamento, o estudante justificou que não estava usando o táxi apenas para trabalho, mas também para uso pessoal, e ainda alegou que os registros fornecidos pela Comissão de Serviços de Táxi não refletiam as horas reais que ele havia trabalhado. Ele também alegou que muitas vezes ele não fazia logoff do sistema de rastreamento quando estava usando o táxi para uso pessoal e que muitas vezes não fazia logoff do sistema quando não estava trabalhando durante a noite, ou quando visitava amigos entre os trabalhos para jantar ou para um café.

Por fim, ele alega que tinha trabalhado apenas entre 2-2,5 horas por noite durante cada quinzena.

O Tribunal aceitou a alegação de que o estudante nem sempre desconectava o sistema de rastreamento quando ele não estava trabalhando, ou quando usava o táxi para uso pessoal, mas entendeu que essas práticas não explicavam todas as horas que foram registrados no sistema de rastreamento.

O Tribunal definiu que “trabalho” é qualquer atividade que normalmente atrai remuneração, e algumas lições valiosas podem ser tiradas desse caso:

  • A primeira é esteja ciente de que podem haver sistemas de registros que podem registrar as horas trabalhadas, e esses registros podem ser usados como evidência em um caso de cancelamento de visto.
  • Para poder argumentar que os registros eletrônicos não "registram com precisão" as horas trabalhadas, é essencial ter registros bons e confiáveis ​​das horas reais que você trabalhou.

#FicaaDica: fique atento para as condições do seu visto e mantenha sempre registros bons o suficiente, caso precise contar com eles algum dia.

 

Contact us:

Fernanda Souza | MARN 1797148

migration@spiible.com

Phone: 0 390 806 672

Address: Level 5, 342 Flinders Street

'Spiible, your education agency in Australia'

We help from wherever you are!

Head Office - Australia
Level 5 / 342 Flinders Street, Melbourne, VIC 3000 - Australia

Email: hello@spiible.com 
Phone: +61 3 9080 6672
Whatsapp: +61 406 247 900

 

Brazil - São Paulo
Av. Paulista, 1374 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01310-100 (WeWork 11 andar)

Email: brasil@spiible.com.br 
Whatsapp: +55 11 99341-1558

Your Details
To contact us, please complete the details below.
CAPTCHA de imagem
Digite o texto exibido na imagem.